Avaliações

AVALIAÇÃO

(Conteúdo extraído na íntegra do Informativo Quinze 2022)

        A concepção de avaliação adotada pelo Colégio Presbiteriano Quinze de Novembro é parte integrante e orientadora do processo de ensino-aprendizagem. O sistema de avaliação procura analisar os indivíduos, desde a diagnose inicial à aplicação de diferentes estratégias avaliativas.

        Para que isso aconteça, é necessária a utilização de diferentes mecanismos de avaliação que se detenham não só nos resultados finais, mas valorizem o processo de construção do conhecimento. O sistema avaliativo é capaz de promover mudanças, reflexões acerca das metodologias de ensino e das aprendizagens.

        O ano letivo é dividido em TRÊS UNIDADES de estudos, sendo desenvolvidos processos avaliativos em cada um deles, cujos procedimentos considerarão os objetivos traçados nos planejamentos referentes a cada trimestre.

1 AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

        A avaliação dar-se-á de forma sistemática e contínua, ao longo de todo o processo de aprendizagem. Será feito um levantamento inicial para que se obtenham as informações necessárias sobre o conhecimento prévio que as crianças possuem sobre a escrita, a leitura e a linguagem oral, sobre suas diferenças individuais e sobre suas possibilidades de aprendizagem.

        As situações de avaliação acontecerão em atividades contextualizadas para que se possa observar a evolução das crianças. A observação é o principal instrumento para que o professor possa avaliar o processo de construção da criança no que se refere ao conhecimento de mundo e à formação pessoal e social. 

        Ao término de cada trimestre, os pais/responsáveis recebem o Relatório de Desenvolvimento Individual do Estudante para compreensão desse processo e, a posteriori, realizam o retorno das informações recebidas por meio do relatório.

2 AVALIAÇÃO NO ENSINO FUNDAMENTAL – ANOS INICIAIS (1º AO 5º ANO)

2.1 Avaliação do 1º Ano

        A Lei nº 11.274 que regulamenta o Ensino Fundamental de 9 anos foi sancionada em 2006. No entanto, devemos estar atentos para o fato de que a inclusão de crianças de seis anos de idade no Ensino Fundamental não deverá significar a antecipação dos conteúdos e atividades que tradicionalmente foram compreendidos como adequados à primeira série.

        Destacamos, portanto, a necessidade de se construir uma estrutura e organização dos conteúdos em um Ensino Fundamental de nove anos. O ministério de Educação recomenda que jogos, danças, contos e brincadeiras espontâneas sejam usadas como instrumentos pedagógicos, respeitando o desenvolvimento cognitivo da criança. Nesse contexto, a alfabetização deve ser entendida como um processo marcado por individualidades, por particularidades e que ocorre em tempos distintos de estudante para estudante, portanto, uma vez que necessitamos adequar o processo de avaliação do 1º ano do Ensino Fundamental às normas estabelecidas pelo Regimento Escolar Quinze, a avaliação seguirá especificidades abordadas a seguir.

        A avaliação, nesse âmbito, dar-se-á de forma contínua, realizada em diferentes momentos e através de diferentes procedimentos, tais como: observação sistemática da postura do estudante em permanente construção, diferentes produções individuais  e/ou coletivas, como: compreensão de leitura, produção  de textos, exercícios em livros e fichas, jogos, resolução de problemas, registros de experiências, vivências, aula de campo, etc. Portanto, assumimos a avaliação como princípio processual, como sendo diagnóstica, participativa, formativa e redimencionadora da ação pedagógica. Nesse processo, aspectos qualitativos sobrepõe aos quantitativos e, assim, rompemos com a prática tradicional, limitada aos resultados finais e com caráter meramente classificatório e de verificação de saberes.

       Para calcularmos as notas da unidade ou trimestre, usamos índices avaliativos a partir das metas traçadas para cada unidade de estudo: MA – meta alcançada, MPA – meta parcialmente alcançada e MANA – meta ainda não alcançada. A cada um dos índices são atribuídos acertos, na seguinte escala: MA – 3 acertos, MPA – 2 acertos e MANA – 1 acerto. Divide-se a nota máxima 10,0 (DEZ) pela soma do número de acertos da disciplina, a partir desse cálculo, obtém-se um escore que deverá ser multiplicado pelo número de acertos construídos pelo estudante assim, temos a média trimestral.

        Mesmo considerando que os resultados aproximam-se da realidade, não abrimos mão das observações e orientações individuais realizadas pela equipe pedagógica, as quais constituirão relatório enviado à família para que haja melhor compreensão do processo.

 

2.2 Avaliação do 2º ao 5º ano

        A avaliação dar-se-á de forma contínua, realizada em diferentes contextos e por meio de diferentes procedimentos, tais como: observação sistemática da postura do estudante em permanente construção, diferentes produções individuais e/ou coletivas, como: compreensão de leitura, produção de textos, exercícios em livros e fichas, jogos, resoluções de problemas, registros de experiências, vivências, aulas de campo, provas orais e escritas.

        O estudante deverá estar consciente de que sua avaliação é diária, pois é parte integrante do processo de ensino e de aprendizagem, do qual ele é protagonista.

        As atividades avaliativas são compostas de até 04 (quatro) notas, cujos procedimentos citados acima serão definidos pelo professor, sendo um deles, a avaliação escrita. Os resultados das avaliações serão entregues aos estudantes, após a análise do professor, devendo ser assinadas pelos pais demonstrando ciência do processo. Também constarão em BOLETIM, os quais serão divulgados nas datas constantes no Calendário Anual e divulgadas amplamente já no início do período letivo.

2.2.1 Reconstrução do Desempenho Escolar – RDE, Média Trimestral, Resultado Anual e Recuperação Final

Ao final de cada trimestre letivo, independente da Média Parcial alcançada, todos os estudantes serão submetidos a uma semana de aulas de Reconstrução do Desempenho Escolar. Trata-se de revisão de assuntos selecionados pelos professores, relevantes ao prosseguimento dos estudos. Esta será seguida de avaliação, cuja nota – se superior – substituirá a menor nota do trimestre. Somente após esse processo a MÉDIA TRIMESTRAL é computada.

É relevante destacar que para a RDE não há processo regular de 2ª chamada, sendo casos de falta a provas analisados individualmente. Outra informação relevante é que a RDE não supre ausência de notas, portanto, não cobre eventual “F”.

Ao final do processo avaliativo anual, o estudante estará promovido se como resultado das três unidades tiver atingido MÉDIA ANUAL igual ou superior a 7,0 (sete) em cada uma das disciplinas.

       O estudante que não tiver atingido média igual ou superior a 7,0 (sete) em uma ou mais disciplinas, terá direito à Avaliação de Recuperação Final. A média necessária para a sua promoção deve ser calculada conforme o modelo abaixo:

Média Anual + Nota da Recuperação Final   = ou > 5,0 (cinco)

                                              2

3 AVALIAÇÃO NO ENSINO FUNDAMENTAL – ANOS FINAIS (6º AO 9º ANO)

        A avaliação do rendimento escolar do estudante será sistemática, contínua e cumulativa, com prevalência dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos.  A avalição dar-se-á por meio de procedimentos distintos, podendo ser usados: observação sistemática da postura do estudante em permanente construção, diferentes produções individuais e/ou coletivas, como: compreensão de leitura, produção de textos, exercícios em livros e fichas, jogos, resolução de problemas, registros de experiências, vivências, aulas de campo, etc., além de avaliações orais, escritas e autoavaliação. Além disso, é necessário considerar que os estudantes serão submetidos à avaliação promovida pelo Sistema Ari de Sá – SAS, a Avaliação Acadêmica Sistemática, cujos detalhes serão divulgados no decorrer do ano letivo.

        Os resultados das avaliações constarão em BOLETIM, os quais serão divulgados nas datas constantes no Calendário Anual e divulgadas amplamente já no início do período letivo.

3.1 Orientações gerais para as avaliações

Salvo sob condições especiais, orientadas pelo(a) professor(a), não será permitida, durante as avaliações presenciais, nenhuma forma de comunicação entre os estudantes, mesmo que sejam comunicados genéricos acerca da avaliação, sendo estes comentários aceitáveis apenas quando autorizados pelo professor.

        Nesse contexto, é terminantemente proibido o uso de celulares e/ou outros equipamentos eletrônicos durante as avaliações, salvo sob a autorização expressa do professor e com finalidade claramente justificada. Portanto, de um modo geral, o porte desses equipamentos na hora das avaliações não é permitido, sendo o estudante passível de disciplina, deliberada pela Equipe Diretiva, no caso de descumprimento dessa regra.

        Não será permitido o empréstimo de nenhum material de uso individual entre os estudantes após o início das avaliações. O professor/fiscal que estiver na sala tem autonomia para julgar os casos excepcionais.

        O professor indicará a necessidade de rascunho, para que este seja anexado à prova pela mecanografia, bem como sua permissão para o uso de calculadoras. Não será permitido o uso de folhas avulsas como rascunho em nenhuma hipótese.

         Os instrumentos avaliativos serão devolvidos aos estudantes após análise do professor e os resultados gerais serão divulgados no Boletim, conforme calendário previa e amplamente divulgado.

          O estudante deve observar rigorosa integridade na execução de quaisquer instrumentos de avaliação ou trabalhos escolares. Caso o estudante empregue meios fraudulentos para a realização de qualquer instrumento de avaliação, será encaminhado à coordenação, para definição das medidas disciplinares. Em caso específico de “cola” - em qualquer tipo de avaliação – a prova será anulada imediatamente e será atribuída nota 0,0(zero).  

        As avaliações que ocorrerem remotamente precisam ser permeadas por honestidade e lisura dos estudantes, devendo ser observadas as condições e normas indicadas pelo(a) professor(a).

3.2 Simulados do 8º e do 9º Ano

       Ao longo do ano letivo, o 8º e o 9º ano farão simulados que corresponderão a mais uma das atividades avaliativas da unidade. Estes ocorrerão uma vez por trimestre e serão considerados para o cômputo das médias nesse período letivo. As provas são uma adaptação do modelo SSA (Sistema Seriado de Avaliação da Universidade de Pernambuco) e estarão organizadas conforme descrição a seguir:

- o simulado do 8º Ano conterá 7 questões de múltipla escolha e 3 questões dissertativas, exceto em caso de prova de Língua inglesa, que conterá 10 questões de múltipla escolha. Cada uma das questões valerá 1,0 ponto. Os simulados do 8º Ano estão assim distribuídos: 1º trimestre – Ciências e História; 2º trimestre – Matemática e Geografia; 3º Trimestre – Português, Inglês e Espanhol.

 - o simulado do 9º Ano corresponderá ao modelo adaptado do SSA (Sistema Seriado de Avaliação – Universidade de Pernambuco) e será vivenciado em três etapas, uma em cada trimestre. A primeira etapa será constituída por 35 questões, sendo 10 de Física, 10 de História, 10 de Química e 5 de Filosofia; a segunda, é constituída de 10 questões de Geografia, 10 de Matemática, 6 de Língua Inglesa. Já a terceira etapa é composta por 20 questões de Língua Portuguesa (sendo 10 de Gramática e 10 de Interpretação Textual), 10 de Biologia e 05 de Arte.

Os simulados para ambas as séries ocorrerão no horário de 8h às 12h, devendo o estudante apresentar-se na sala às 7h45. Não será permitida a entrada deste após o toque de início, às 8h. A saída ocorrerá a partir das 9 horas.

       O estudante só terá acesso ao local de prova portando o seu cartão de identificação pessoal, repassado gratuitamente no início do ano letivo pela coordenação pedagógica. A perda desse cartão acarretará numa nova aquisição mediante pagamento de taxa no valor de R$ 30,00 (trinta reais), na tesouraria do colégio.

       O estudante receberá dois cadernos em separado. No primeiro caderno (caderno de questões) constarão as questões elaboradas pelos professores. O segundo caderno (caderno de respostas) possuirá as folhas de gabarito separadas por disciplina. O caderno de questões poderá ser levado pelo estudante, desde que haja autorização expressa do fiscal de sala.

3.3 Reconstrução do Desempenho Escolar – RDE

Ao final de cada trimestre letivo, independente da Média Parcial alcançada, todos os estudantes serão submetidos a uma semana de aulas de Reconstrução do Desempenho Escolar (RDE). Trata-se de revisão de assuntos selecionados pelos professores, relevantes ao prosseguimento dos estudos. Esse processo é seguido por aplicação de provas, cuja nota – se superior – substituirá a menor nota do trimestre. Somente após esse período, a média trimestral é computada.

Para a RDE não há processo regular de 2ª chamada, sendo casos de falta a provas analisados individualmente. Outra informação relevante é que a RDE não supre ausência de notas, portanto, não cobre eventual “F”.

3.4 Aprovação e Recuperação Final

        O estudante estará promovido por média se, como resultado das três unidades, tiver atingido MÉDIA ANUAL igual ou superior a 7,0 (sete) em todas as disciplinas.

        O estudante que não tiver atingido média igual ou superior a 7,0 (sete) em uma ou mais disciplinas, terá direito à Avaliação de Recuperação Final. A nota necessária para a sua promoção deve ser calculada conforme o modelo abaixo:

Média Anual + Nota da Recuperação Final  = ou > 5,0 (cinco)

                                              2

Atenção! Sobre processo de SEGUNDA CHAMADA consultar o item 6.7, constante neste Informativo. 

4 AVALIAÇÃO NO ENSINO MÉDIO

        A avaliação nessa última etapa da Educação Básica não muda seu caráter formativo, é perpassada pela consolidação e aprofundamento dos conhecimentos construídos no Ensino Fundamental. Além dos procedimentos comumente utilizados (avaliações de sala, atividades remotas – síncronas e assíncronas,  trabalhos de distintas naturezas, leituras, aulas de campo),  serão  realizados durante o ano letivo a Avaliação Acadêmica Sistemática do SAS - apenas para a 1ª e a 2ª série; Simulados Quinze, que seguem o modelo do SSA (Sistema Seriado de Avaliação da Universidade de Pernambuco - UPE); Simulado SAS ENEM, para a 3ª série e, eventualmente, para a 2ª Série. Assim, é preciso considerar que todas as turmas do Ensino Médio farão simulados por trimestre.

4.1 Orientações gerais para avaliações

  Salvo sob condições especiais, orientadas pelo(a) professor(a), não será permitida, durante as avaliações presenciais, nenhuma forma de comunicação entre os estudantes, mesmo que sejam comunicados genéricos acerca da avaliação, sendo estes comentários aceitáveis apenas quando autorizados pelo professor.

        Nesse contexto, é terminantemente proibido o uso de celulares e/ou outros equipamentos eletrônicos durante as avaliações, salvo sob a autorização expressa do professor e com finalidade claramente justificada. Portanto, de um modo geral, o porte desses equipamentos na hora das avaliações não é permitido, sendo o estudante passível de disciplina, deliberada pela Equipe Diretiva, no caso de descumprimento dessa regra.

        Não será permitido o empréstimo de nenhum material de uso individual entre os estudantes após o início das avaliações. O professor/fiscal que estiver na sala tem autonomia para julgar os casos excepcionais.

        O professor indicará a necessidade de rascunho, para que este seja anexado à prova pela mecanografia, bem como sua permissão para o uso de calculadoras. Não será permitido o uso de folhas avulsas como rascunho em nenhuma hipótese.

         Os instrumentos avaliativos serão devolvidos aos estudantes após análise do professor e os resultados gerais serão divulgados no Boletim, conforme calendário previa e amplamente divulgado.

          O estudante deve observar rigorosa integridade na execução de quaisquer instrumentos de avaliação ou trabalhos escolares. Caso o estudante empregue meios fraudulentos para a realização de qualquer instrumento de avaliação, será encaminhado à coordenação, para definição das medidas disciplinares. Em caso específico de “cola” - em qualquer tipo de avaliação – a prova será anulada imediatamente e será atribuída nota 0,0(zero).  

        As atividades avaliativas que eventualmente ocorrerem remotamente precisam ser permeadas por honestidade e lisura dos estudantes, devendo ser observadas as condições e normas indicadas pelo(a) professor(a).

 

4.2 Orientações gerais para os Simulados Quinze

Os simulados para ambas as séries serão realizados no horário das 8h às 12h, exceto no SSA 1, que será concluído às 13h. Os horários informados devem ser rigorosamente observados. Não será permitido o acesso do estudante ao local de prova após o toque de início, às 8h, ficando este para realizar a segunda chamada (vide condições de segunda chamada). A saída será permitida a partir das 10 horas.

O estudante só terá acesso ao local de prova portando o seu cartão de identificação pessoal.

Dinâmica dos Simulados:

        Em virtude dos ajustes ao Novo Ensino Médio, o SSA1 (1ª Série), em 2022, será orientado pelos novos padrões da UPE - Universidade de Pernambuco e será composto pelos componentes curriculares da Formação Geral Básica.

Informações gerais:

  • As notas dos simulados valem como uma das notas exigidas para a unidade.
  • O Simulado Quinze Modelo SSA será vivenciado em duas etapas por trimestre e terão o número de questões abaixo:

- 1º SSA: 44 questões, sendo 12 de Língua Portuguesa, 10 de Matemática, 10 de Física, 6 de Língua Estrangeira (Inglês), 6 de Filosofia e Redação;

- 2º SSA: 46 questões, sendo 10 de Biologia, 10 de Química, 10 de História e 10 de Geografia e 06 de Sociologia. 

  • O Simulado Modelo ENEM será elaborado e analisado pelo Sistema Ari de Sá, seguindo a estrutura do exame oficial. A Avaliação Acadêmica Sistemática também é realizada pelo Sistema SAS.
  • O Simulado SAS ENEM, 3ª série, seguirão rigorosamente o modelo do exame oficial e terão suas normas posteriormente informadas pela coordenação. A 2ª Série do Ensino Médio fará o último SAS ENEM junto com a 3ª Série do Ensino Médio, em data a ser divulgada com a devida antecedência.
  • No Simulado Quinze (SSA), o estudante receberá dois cadernos em separado. No primeiro (caderno de questões) constarão as questões elaboradas pelos professores. O segundo caderno (caderno de respostas) possuirá as folhas de gabarito separadas por disciplina.
  • O estudante poderá levar o caderno de questões ao sair da sala, desde que haja decorrido o tempo de duas horas do início do simulado.
  • O caderno de questões conterá uma folha de rascunho para a prova de redação, não sendo permitida a retirada desta folha durante o simulado.
  • Reiteramos que não é permitido o uso ou porte de celulares e/ou outros equipamentos eletrônicos para consulta durante os simulados.
  • Em provas presenciais, os estudantes deverão comparecer com o fardamento completo, conforme o item específico sobre o assunto, constante neste informativo.

4.3 Reconstrução do Desempenho Escolar – RDE

Ao final de cada trimestre letivo, independente da Média Parcial alcançada, todos os estudantes serão submetidos a uma semana de aulas de Reconstrução do Desempenho Escolar (RDE).  Trata-se de revisão de assuntos selecionados pelos professores, relevantes ao prosseguimento dos estudos. Esse processo é seguido por aplicação de provas, cuja nota – se superior – substituirá a menor nota do trimestre.

 Para a RDE não há processo regular de 2ª chamada, sendo casos de falta a provas analisados individualmente. Outra informação relevante é que a RDE não supre ausência de notas, portanto, não cobre eventual “F”.

4.4 Aprovação e Recuperação Final

        O estudante estará promovido por média se, como resultado das três unidades, tiver atingido MÉDIA ANUAL igual ou superior a 7,0 (sete) em todas as disciplinas.

        O estudante que não tiver atingido média igual ou superior a 7,0 (sete) em uma ou mais disciplinas, terá direito à Avaliação de Recuperação Final. A  nota necessária para a sua promoção deve ser calculada conforme o modelo abaixo:

Média Anual + Nota da Recuperação Final  = ou > 5,0 (cinco)

                                              2

Atenção! Sobre processo de SEGUNDA CHAMADA consultar o item 6.7, constante neste Informativo. 

 

REPROVAÇÃO, PROGRESSÃO PARCIAL E EXAME ESPECIAL

        Em caso de reprovação em até dois componentes curriculares, o estudante poderá submeter-se à Progressão Parcial. Trata-se da possibilidade de prosseguir nos estudos, ou seja, ser matriculado no ano ou na série seguinte e ser submetido, no ano posterior à reprovação, a novo processo avaliativo, que ocorre em até três oportunidades, para conclusão dos componentes em que foi reprovado(a). Alcançando a nota para aprovação, o estudante conclui os componentes da série em que houve a reprovação.

        Em caso de reprovação em mais de dois componentes, o estudante é considerado reprovado e não pode ser matriculado no ano ou na série subsequente.

        Para estudantes de 9º Ano, em caso de reprovação em até dois componentes, há   nova oportunidade avaliativa, o Exame Especial, uma vez que a Progressão Parcial não se aplica na mudança de etapa (do Fundamental para o Médio). No contexto da 3ª Série do Ensino Médio, também será garantido o Exame Especial.

Pesquisar

Quem está OnLine

Temos 150 visitantes e Nenhum membro online


MENU +

Ser Quinze!

Parceiros

 

 

 

© 2022 Colégio Presbiteriano Quinze de Novembro. Todos os direitos reservados.

Desenvolvimento HC Comunicação